Da Primeira Igreja ninguém esquece ...

"...e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela" (Mateus 16:18)

HISTÓRICO DO LANCAMENTO DA PEDRA FUNDAMENTAL DO TEMPLO E DE SUA CONSTRUÇÃO

O material abaixo está registrado nos arquivos da Igreja Evangélica Fluminense e foram extraídos de artigos e atas publicados no jornal “o Cristão”. A grafia do texto não foi corrigida deliberadamente para que o ambiente histórico fosse mais bem retratado.

No anno de 1890, a Igreja Fluminense, depois de ter ajuntado meios sufficientes, achou um terreno e prédio na rua da Praia, que muito lhe convinha para a edificação de sua Casa de Oração.

Havia, porém, uma difficuldade. O proprietário deste prédio possuía outro contíguo, e cathegoriacmente declarou que só venderia os dois. Um irmão, não desejando que a Igreja perdesse a opportunidade de possuir um local tão bom, offereceu-se para ficar com o terreno e prédio de que a Igreja não precisava e assim, nesse anno, a Igreja entrou na posse do terreno.

Como a actual sala de cultos era pequena para o auditório e a igreja não tinha ainda meios para construir a sua casa de oração não admittindo o prédio adquirido nenhuma reforma mesmo temporária, o irmão cedeu o prédio que comprara contíguo ao da Igreja para seu uso até que podessem construir a nova Casa de Oração cujas obras acabaram de se iniciadas.

Durante este tempo emquanto os irmãos se esforrçavam por angariar os meios necessários para a nova construção, a congregação cresceu e mais de uma vez foi preciso ampliar o salão, pondo abaixo divisões.

Os irmãos têm esperado muito e porisso foi com indizível alegria que presenciamos o lançamento da pedra fundamental do novo edifício na terça-feira, 2 do corrente. A cerimonea começou com um culto às 11 da manhã, dirigida pelo seu pastor, Rev. Leonidas da Silva. O salão estava repleto notando-se a presença de várias autoridades. No fim o Rev. Santos fez um apello à congregação e o Rev. J.L. Kennedy disse, depois, algumas palavras de animação.

Em quanto esperavam o assentamento da pedra e lavrada a acta, a congregação cantou diversos himnos. Quando deram o signal, as pessoas sairam do salão e vieram para o local em fileira cantando um himno. Ahi chegadas tomou a palavra o venerado pastor Sr. Santos e pediu para cantar o hymno 139, convidando o Rev. Álvaro Reis, pastor da Igreja Presbiteriana, para ler um trecho da Epistola aos Ephesios. Lida a passagem o Rev. Santos procedeu a leitura do Histórico que publicaremos depois. Em seguida principiou a collocação dos objectos na caixa de chumbo. A Lista dos objectos acha-se abaixo, em seguida a acta da solenidade.

Tomou então a palavra o Rev. Leonidas e fez um apello aos presentes para que corressem com o seu óbulo para a edificação da Casa de Oração, por cusas obras estão contractadas 35 contos de réis e para cujo pagamento apenas existem 25 contos mais ou menos, não incluindo a mobília.

Em seguida tomaram a palavra fazendo saudações, o sr. Dr. Soraes do Couto, pelo O Christão; o sr. Antônio jansen Tavares, pela congregação E. de S. Christóvam; Rev. Álvaro Reis pela I. Presbiteriana e o Sr. Jesse Tavares pelo Estandarte.

Então quasi todos os assistentes, em número de 300, mais ou menos, se retiraram, ficando apenas a Administração do Patrimônio a testemunhar o encerramento da caixa.

Foram tiradas várias fhotographias.

A subscripção que o Rev. Leonidas iniciou à saída, atingiu perto de 2 contos de réis.

A reunião fou muinto solemne no espírito dos assistentes.

O Christão de 02.09.1902

CÓPIA DA ACTA DO LANÇAMENTO DA PEDRA FUNDAMENTAL DO EDIFÍCIO NO DIA 2 DE SETEMBRO DE 1902.

A Egreja Evangélica Fluminense, sendo seu pastor o sr. João Manoel Gonçalves dos Santos, presbyteros: José Luiz Novaes, José Luiz Fernandes Braga e Antônio Gonçalves lopes, doáconos: José Rodrigues Martins, manoel Pereira da Cunha Bastos, Antônio Teixeira Fernandes, Guilherme Tanner, Alberto Luiz da Roza, Isamel Cardoso da Silva, Antônio Domingos da Assumpção: Membros da Adminsitração: José Luiz Fernandess Braga, José Joaquim Alves, João Fernandes da Gama, José Valença Peress e José Ignácio Rodrigues; sendo a assembléa, para esse fim convocada, autorizada a Administração do Patremôneo a mandar contruir a casa de oração em Nictheroy, na rua Visconde do Rio Branco, nº 143; e tento a dita Adminsitração contratado a obra com o sr. João Marinho de Castro; reunidos hoje na rua e número acima, o pastor da egreja, os officiaes; estando também presente sr. leonidas da Silva, pstor da Egreja Evangélica e NIctheroy, o presbytero AnTõnio Vieira de Andrade e o diácono José Joaquim Pereira Rodrigues, os pastores das Egrejas: Presbyteriana, Methodista, represntante das Sociedades Brittannica e Amaricana, das Associações Christãs de Moços, e de Moças, de outras sociedades evangélicas, da imprensa secular e religiosa. Dr. Antonio José de Moura, presidente em exercício da Câmara Municipal de Nictheroy, Dr. Godofredo de Freitas Travassos, engenheiro civil, Director de obras Municipaes de Nctheroy, Coronel Eduardo Amaral Mello e Alvim, e outras pessoas gradas abaixo assignadas, depois de celebrado na casa de oração provisória culto a Deus, estando os corredores e a sala repleta de assistentes, em cuja direcção tomaram parte diversos pastores e ministros do Evangelho, dirigiu-se então todo auditório ao Terreno junto, onde vai ser o edifício, e alli o pastor, sr. Santos leu o histórico do princípio da Egreja de Nictheróy, convidou o sr. Álvaro dos , José Valença Peres, thesoureiro José Ignácio Rodrigues, procurador.

Sociedade de evangelização do Rio de Janeiro, representada por seu presidente o sr. João Manoel Gonçalves dos Santos. União Bíblica Auxiliadora da Egreja Evangélica Fluminense, por Israel Galart, Escola Dominical da Egreja Evangélica Fluminense, por seu superintendente José Luiz Fernandes Braga Júnior, presidente da Associação Christã de moços do Rio de Janeiro, Egreja de S. José do Bomjardim, por seu pastor José Orton, Egreja de Passa Três, por um presbytero José Francisco Gomes. Congregação do Encantado, pelo evangelista o sr. Antônio Marques. Egreja Evangélica de Nictheroy, por seu pastor o sr. Leônidas da Silva, estando presente o presbytero Antônio Vieira de Andrade, e o diácono José Joaquim Pereira Rodrigues. Egreja Methodista de Petrópolis, o seu pastor João E. Tavares. Egreja Evangélica Presbyteriana, por seu pastor collado Álvaro Emygdio Gonçalves dos Reis. Egreja Episcopal do Rio, por seu pastor Geo. D. Parker. Congregação Evangélica de S. Christóvão, por Antônio Jansen Tavares. O Christão, por seu redactor Dr. Nicolau Soares do Couto. Associação Christã de Moços do Rio, por seu secretário Geral Myron A. Clark. Expositor Christão, por J. L. Kennedy. Sociedade Bíblica Juvenil por Noé Vieira de Andrade. Casa Editora Presbyteriana, por Dr. H. S. Allyu. Casa Editora Methodista, por João E. Tavares, Jornal – O Estudante, por Jesse Jansen Tavares. União Auxiliadora Evangélica de Nictheroy, por Bernardino Loureiro dos Santos. Sociedade Christã de Moças, por D. Christina Fernandes Braga. União Evangélica de Semhoras por D. Luiza Carolina de Araújo. Luz e Vida por Fortunato Gomes da Luz. Sociedade Help for Brasil, por Anna Huber. Câmara Municipal de Nictheroy, por seu presidente Antônio José de Moura. Obras Municipaes de Nictheroy por seu director Godofredo de Freitas Tavares. O Puritano, por Álvaro Emygdio Gonçalves dos Reis. A Gazeta de Notícias de Nictheroy e o Fluminense, por J. A. de Salles, Sociedade Auxiliadora da Evangelização, por D. Christina F. Braga. O Constructor da nova casa de oração da Egreja Evangélica de Nictheroy – João Marinho de Castro, (membro da Egreja de Nictheroy).

OBJETOS COLLOCADOS NA PEDRA FUNDAMENTAL DA CASA DE ORAÇÃO DA EGREJA EVANGÉLICA EM NICTHEROY

1. Bíblia Figueiredo. 1. Dita de Almeida. 1. Música Sacra com hymnos. 1. Exemplar dos Artigos Orgânicos da Egreja Evangélica Fluminense, seguidos da Breve Exposição das Doutrinas Fundamentaes do Christianismo, recebidas pela mesma Egreja. Histórico do principio da Egreja em Nictheroy e alguns factos. 1. Exemplar dos Estatutos da Associação do Hospital Evangélico Fluminense. 1. Dito da Sociedade de Evangelização do Rio de Janeiro. 1. Dito dos Estatutos da Egreja Evangélica de Nictheroy. 3 dos Relatórios da mesma Egreja referentes aos annos de 1899 – 1901. 2. Relatórios da Sociedade de Evangelização do Rio de Janeiro de 2 differentes annos. 4 Dºs da Administração do Patrimônio, em differentes annos, da Egreja evangélica Fluminense. 1. Relatório da Associação do Hospital Evangélico Fluminense. Licções internacionaes da Escola Dominical. O Juvenil. O Christão. O Amigo da Infância. Regras de Autonomia para as Igrejas de Nictheroy e Passa Trez. Cartões de Leitura Bíblica. Uma Morte Feliz – No Rio de Janeiro – Tratado. 1. Tradução dos Psalmos – por Santos Saraiva. 2. nºs. Do Estandarte . O Puritano. O Expositor Christão e outros jornaes Evangélicos. Jornal do Commercio. 2. Moedas de prata. 3. Dls de níkel. 2. Notas. 2. Moedas de cobres. 1. Exemplar dos Estatutos da Associação Christã de Moços. 1. Relatório da mesma. 1. Distinctivo. 1. Dº da Sociedade Christã de Moças. 1. Exemplar dos Estatutos da Mesma. 1. Exemplar dos Estatutos da União Auxiliadora Evangélica de Nictheroy. 1. Exemplar dos Estatutos da Sociedade Bíblica Juvenil de Nictheroy. 1. Exemplar do Livro dos Provérbios de Salomão. O Christão 02.09.1902

NOTÍCIAS

CASA DE ORAÇÃO EM NICTHEROY

A nova Casa de Oração, que será inaugurada no dia 28 do corrente a rua Visconde do Rio Branco, nº 143, em Nictheroy, foi mandada construir pela Igreja Evangélica Fluminense para uso da Igreja Evangélica de Nictheroy. Cujos membros fizeram parte integrantes d’aquella igreja e que receberam sua autonomia espiritual, como igreja local. Por resolução de 17 de março de 1899.

Esta casa, cuja pedra fundamental foi solemnemente lançada em 2 de Setembro do anno passado, edificado pelo irmão constructor, João Marinho de Castro, sob a planta habilmente architectada pelo illustre engenheiro Dr. Vicente de Carvalho, foi levantada em um terreno comprado para este fim em 1890.

O terreno mede 14 metros de frente por 45,33 de fundos, além das marinhas.

A construção foi feita 5 metros recuadas da frente da rua para dar lugar a uma área bem cimentada onde crescem duas árvores. E onde foram colocadas duas elegantes columnas, uma de cada lado, com dois focos de gaz para illuminar a frente de entrada do edifício, a qual fica cercada por um elegante portão e gradil de ferro fixo sobre um pequeno muro em frente a rua.

O edifico que se levanta a 1.25m. acima do nível da rua, mede 23m de fundo por 10.60 de largo deixando, portanto um espaçoso corredor de 2 metros entre o edifício e o muro dos lados vizinhos bem cimentados com uma bica d´água de cada lado, latrinas, etc. Dá entrada ao edifício pela frente o portal principal onde foi collocada um tapaventos para interceptar a vista da rua, e mais duas portas lateraes que dão entrada ao centro do salão o qual fica amplamente ventilado e illuminado por ellas e por janellas, 5 de cada lado e duas na frente.

O edifico que tem 7 metros de pé direito, é construído de pedra e cal ficando as paredes por fora em pedra rústica juntada com cimento e sendo todos as cortadas de cantaria.

Na parte superior do frontespício, foram postos os letreiros: - Casa de Oração da Igreja Evangélica de Niteroy, por cima dos quaes acha-se um relógio, cujo mostrador tem um metro de diâmetro e recebe seu movimento de um machinismo que communica egualmente com outro mostrador de 60 centímetros que foi collocado no salão, ao lado esquerdo do púlpito.

As paredes interiores são lizas e pintadas de branco, tendo ao fundo um arco elegante, dentro do qual foram escriptos vários textos das Escripturas Sagradas.

Os portaes são todos feitos de madeira de lei. O madeiramento, vigamento, assolalho e forro é tudo de pinho de riga.

O forro é de feitio oval, apoiado sobre consolos salientes da parede e todo envernizado.

O salão é guarnecido por 52 bancos de pinho de riga lustrados, com estante para livros e cabides para chapéos, que ficam dispostos em três ordens, ao longo do salão em duas de três bancos ao lado do púlpito. A iluminação é feita a gaz carbônico com incandescente Auer e foi distribuído de modo ainda não adoptado neste paiz em edifício desta ordem.

Ao entrar pela porta principal encontra-se logo, sobre o tapa-ventos uma arandella dupla com dois focos para iluminar a entrada. Seguem ao lado da fila de bancos do centro do salão duas ordens de columnas de fundição elegante, sustentando cada columna um foco de luz que illumiam o centro e os lados do salão.

Ao fundo, por traz do púlpito, acham-se ainda duas arandellas, duplas que allumiam ao pregador.

O salão fica pois, bem arejado, bem illuminado e com capacidade para 300 pessoas sentadas a vontade.

A despeza total feita com este edifício, incluindo o custo do terreno, orça por 54:000$000 que felizmente está pago. Para chegar-se, porém, a este resultado gastou se longo tempo, muito trabalho e ingentes esforços!

Desde 1886, épocha em que a Igreja Evangélica Fluminense concluiu a sua Casa de Oração à rua Floriano Peixoto, começou a mesma Igreja a trabalhar para esta obra. Promoveram-se subscripções, kermesses, bazares; angariaram-se donativos por mealheiros, por cartões de furo, tudo entre os crentes da Capital Federal e de Nictheroy, trabalhando com todo gosto e alegria. Está ahi, pois, não só mente o óbulo do crente abastado, como também a offerta modesta do pobre, que se manifestou na grande quantidade de assignaturas de donativos e nas muitas e variadas prendas para os leilões.

Ahi se viram offertas de joias de uso, de animaes e aves domesticas, de canários, de porquinhos da índia, de fructos de toda a espécie, etc. etc.! Muitos crentes abstiveram-se de objectos de luxo, de cousas nem sempre dispensáveis, para attender a esta obra que felizmente agora dedicada ao trabalho do Senhor.

O Christão 28.06.1903

INAUGURAÇÃO DA CASA DE ORAÇÃO DE NITEROY

Sobre a inauguração da nova Casa de Oração em Niteroy, lemos ainda no periódico Luiz e Vida, daquella cidade: Realizou-se como era ansiosamente esperada, a inauguração da nova casa de oração da Egreja Evangélica de Niteroy. Extraordinário número de irmãos de diversas denominações e distinctas senhoras e cavalheiros da elite de Niteroyense e da Capital Federal enchiam o vasto templo que é de um aspecto singelo, mais elegante.

Ao meio-dia tomaram assento na tribuna sagrada, os reverendos João dos Santos, Leônidas Silva e Guilherme da Costa.

Entoado o hymno 255 dos Psalmos e Hymnos, fez oração o pastor Leônidas Silva. Fim da oração, o mesmo senhor convidou o senhor João dos Santos, pastor da Egreja Evangélica Fluminense , a presidir aquella solemnidade. Lido o psalmo 118 pelo rev. Guilherme da Costa, da Egreja Methodista, fez oração o rev. Álvaro Reis. Em seguida pregou o sermão inaugural o pastor João Manuel Gonçalves dos Santos, que tomou por thema o seguinte texto: “Edificarei sobre o fundamento dos Apóstolos e dos Profetas, sendo o mesmo Jesus Christo a principal pedra angular. Efésios 2:20.” (a pregação teve 35 minutos)

Na dissertação do assumpto, o illustrado irmão provou que a origem do verdadeiro christianismo e a pedra fundamental da Egreja é Jesus Christo a pedra dos edificadores rejeitaram, mas que foi posta por cabeça do ângulo.”

Referindo-se aos tempos apostólicos demonstrou que as doutrinas pregadas por Jesus Christo já eram naquelle tempo taxadas de innovação e modernismo e que portanto, não admirava que ainda hoje se dissesse a mesma coisa desse bendito Evangelho.

Terminado o seu sermão, disse que a casa que ora se inaugurada era dedicada para o culto de Deus e que suas portas se abririam de para em par, para todos aquelles que alli quisessem ouvir as Boas Novas da salvação e adorar a Deus em espírito e em verdade.

Findo o sermão, foi franqueada a palavra aos oradores das denominações co-irmãs e corporações alli representadas, lendo o reverendo Leônidas as seguintes saudações: da 1ª Igreja Presbyteriana de S. Paulo, por intermédio de seu pastor o rev. Eduardo C. Pereira; do Marechal Bento Fernandes; de Miss M. H. Watts, directora do Collégio Mineiro de Juiz de Fora.

Fallaram os seguintes representantes: Snr. Viriato Stockler, pela Egreja Evangélica Brasileira e redação do “O Trabalho”; Rev. Álvaro Reis, pela Egreja Presbyteriana do Rio e pela redacção d´O “Puritano”; Dr. Antonio Teixeira da Silva, pessoalmente. Rev. Entzminger em nome da Igreja Batista do Engenho de Dentro e redacção do Jornal Baptistas, DR. Lysanias de Cerqueira Leite, em nome da Associação Cristã de Moços, do Rio; Jessé Tavares em nome d´O “Estandarte”, de S. Paulo e da Congregação de S. Christovão; cav. Antonio Jannnuzzi, em nome do Hospital Evangélico Fluminense; Rev. Constâncio Homero Omegna, em nome da Egreja Evangélica do Jahu e Egreja Presbyteriana de Niteroy , eo o Rev. Guilherme da Costa, pela Egreja Methodista.

Falaram ainda os Snhrs.: Joaquim Correia Dias, pela Sociedade Bíblica Americana; J.L. Fernandes Braga Junior, pela União Bíblica Auxiliadora, Eschola Dominical da Egreja Fluminense e redação d´ “O Christão”; Manoel Bastos, pela Sociedade Bíblica Britannica, A. V. de Andrade, pela Egreja Evangélica de Niterói, Antônio Lopes, pela Egreja Evangélica Fluminense, José Luiz F. Braga, o qual fez uma resenha dos gastos feitos para a construcção do Edifício que inaugurava-se, sem dívida alguma.

Fizeram também representar a Egreja Evangélica de Passa Trez, pelo Presbytero presidente do Districto do Rio, H.C. Tucker, da Sociedade Bíblica Americana e H.S. Allyn da Casa Editora Presbyteriana. Além destes, estiveram presentes muitos outros irmãos, sendo representada a Administração do Patrimônio da Egreja Evangélica Fluminense, pelo seu presidente Snr. José Luiz Fernandes Braga, a Associação Christã de Moços pelo seu secretário Snr. M.A. Clark; a congregação de S. Cristóvão, A. J. Tavares

Usando da palavra o Rev. Leônidas Silva, depois de breves considerações referentes ao acto, aventou a idéia, que foi bem acolhida , de ser levantada uma subscrição (oferta) em favor das obras da casa em cosntrucção, declarando que havia 25 contos em caixa afim de fazer face as despesas para não entrar com dívidas na Nova Casa de Oração.

Aberta a subscrição (oferta) assinaram diversos, atingindo a importância de réis 1:537$900.

Falaram ainda o Snr. J. Santos que leu algumas notas históricas da igreja, o Dr. Soares do Couto, pelo “O Christão” A. Reis pelo “O Puritano “, Jessé Tavares, pelo “O Estandarte”.

Deus permitta que a nova Casa de Oração que ora se levanta nesta cidade, sirva de testemunho a todos que o Evangelho está aqui plantado e que a Egreja Evangélica de Niterói seja um instrumento nas mãos de Deus para que muitas almas possam vir ao conhecimento da verdade, que é Jesus.

A todos, nossos parabéns. (da Luz e Vida)

Volta a página inicial